Categoria: Saúde Geral

Reduza as cólicas do bebê com estes 4 remédios caseiros

Reduza as cólicas do bebê com estes 4 remédios caseiros

Um estudo aponta que a ansiedade produzida pela chegada ao mundo pode estar por trás das cólicas, por isso é bom recriar o ambiente do ventre materno para relaxar o bebê.
Quando chamar o pediatra imediatamente
O uso de chupetas e mamadeiras é prejudicial?
5 dicas para cuidar do cabelo do bebê

81
Compartilhado

As cólicas do bebê são muito frustrantes, quem teve filhos sabe disso. Ele chora durante horas, apesar de tudo parecer estar em ordem.

Não tem febre, as fraldas estão secas, acabou de comer e, no entanto, continua soluçando como se uma dor profunda o atravessasse. E você não pode fazer nada, nem ao menos perguntar o que acontece.

O estresse é enorme, você chega inclusive a pensar que não é uma boa mãe ou um bom pai. Pensa “eu sou a pessoa adulta aqui, não deveria controlar a situação e protegê-lo de todos os males?”.

Se você está lendo isso, certamente viveu esta cena em mais de uma ocasião. Mas, por quê? A causa exata das cólicas em bebês ainda é desconhecida.

Leia também: Atroveran composto

Na verdade, se define como episódios de choro de longa duração repetidos ao longo da semana, sem origem aparente.

No entanto, um estudo revelou que uma porcentagem de crianças apresenta uma sensibilidade maior do que outras.

E a verdade é que, se pararmos para pensar, parece razoável. Imagine a tranquilidade do ventre materno e preste atenção no que acontece ao seu redor.

Imagine o contraste de escuridão e luz; o batimento da mãe e o barulho; satisfação contínua e fome… Essa antítese provoca uma ansiedade nos bebês, que se manifesta da única maneira que sabem: chorando.

Por isso, é fundamental que os ajudemos a relaxar.

Reduza as cólicas em bebês com 4 remédios
1. Infusão de camomila

A camomila tem uma substância chamada glicina que possui efeitos relaxantes. Além disso, todos os seus componentes são muito suaves, por isso seu organismo a tolera sem problemas.

Contudo, se você está temerosa, comece umedecendo a chupeta antes de dar a infusão diretamente.
Se o bebê tolerar bem, é hora de tomar um gole na mamadeira.
Caso continue bem, poderá beber com mais assiduidade.
Por outro lado, os bebês costumam ter gases e o remédio será muito bom para isso também.

Leia também: O que os gases intestinais podem revelar sobre a saúde

2. Crie um ambiente relaxado

Você pode tomar esta medida para acalmar o bebê, assim como para prevenir o aparecimento das cólicas. Coloque uma luz tênue, rode com ele e lhe dê algo agradável para segurar.

Inclusive, você pode recorrer a aquelas gravações que reproduzem os sons de quando estávamos no ventre.

Assim, ele se sentirá em um local seguro, no local em que tudo era paz e tranquilidade, onde não precisava se esforçar para conseguir nada. Seu estresse se reduzirá e, com isso, vai parar de chorar.

Se preferir, pode optar por outras músicas relaxantes, como a de Mozart ou outros compositores, mas não deixe seu bebê em silêncio.
Lembre-se de que ele não conheceu tal estado até que chegar ao mundo. Na verdade, esta é uma das razões pelas quais é tão difícil dormir sozinho.
Recomendamos ler: 5 coisas que você deve fazer antes de ser mãe

3. Balançar

Outra forma de levá-lo de maneira simbólica a aquele lugar seguro é balançá-lo de cima para baixo com a cabeça em seu peito.

Este movimento os transportará a sua primeira casa, já que é muito similar ao que percebiam quando a mamãe caminhava.
Logo, ao ter a orelha próxima ao coração, notarão o batimento que os acompanhava naquele momento, o que constitui uma excelente ferramenta para aliviar a cólica dos bebês.
4. Banho de água morna para reduzir as cólicas do bebê
De novo, estamos falando de replicar o ambiente do útero. Ali, as crianças estavam rodeadas de líquido amniótico. Por isso, a sensação de flutuação os tranquiliza muito.

Aqui, podemos recorrer às gravações das que falávamos anteriormente. Na verdade, se unirmos estas duas medidas, o ambiente será quase idêntico ao que tanto sentem falta.

A experiência de chegar ao mundo é muito traumática. Nunca tinham respirado ar, por exemplo. Não havia a necessidade.

Esse é o seu primeiro esforço. Por isso, não é de estranhar que algumas crianças muito sensíveis encontrem a vida como um lugar hostil que as esgota.

Apesar de estarmos sempre ao lado para ajudá-los, para eles deve ser tão difícil como aterrissar em uma ilha deserta seria para nós.

 

“Por que temos cólica durante a menstruação?” Descobrimos o motivo!

O ginecologista jogou a real pra gente!

A menstruação é vista como muita gente como um período mega chato! Muitas meninas sentem dor em várias partes do corpo, ficam alteradas emocionalmente e ainda temos a chata da cólica menstrual. Mas fala sério, você nunca se perguntou o motivo de termos cólicas? Nós sim e fomos atrás de um especialista para responder!
Por que sofremos com a cólica menstrual?
Isso a gente aprende no colégio: todos os meses, seu útero é preparado pelos estímulos hormonais ovarianos (que preparam a camada interna do útero), deixando-a mais espessa. “Quando não ocorre a gravidez, os hormônios da progesterona caem, causando descamação do endométrio, mais conhecida com menstruação”, explica o ginecologista Elvio Floresti Junior.
Ai que dor!
Você já deve ter percebido (conversando com suas amigas) que a intensidade da menstruação varia de garota para garota. Mas relaxa, a dor tem uma explicação: “como o orifício do colo uterino onde essa camada será expelida é muito estreito, o útero se contrai para eliminá-la totalmente. E é essa contração que causa a cólica menstrual”, conta o especialista. Tendeu, miga?
E é normal?

Leia também: remédio para Cólica menstrual

Infelizmente, sim. E, inclusive, algumas mulheres não têm. Sonho, né? “Existe uma tendência familiar, e naquelas onde a intensidade do sangramento e das cólicas são intensas, é necessário tratamentos através de analgésicos, anti-inflamatórios não hormonais ou até mesmo pílulas anticoncepcionais”, finaliza Elvio.
Precisa sofrer?
Não tem jeito, nós mulheres temos que lidar com a menstruação desde que ela chega, durante a adolescência, até a menopausa, que é quando ela para de acontecer. Por isso, que tal tentar levar o período de maneira mais leve? Tente reduzir os efeitos negativos que a menstruação manifesta em você!Vale juntar as amigas para uma sessão de filmes água com açúcar na época da TPM, comer todo o chocolate que você quiser… Testar diferentes absorventes, ou o coletor menstrual, até achar o que mais te agrada, ou ainda buscar métodos que reduzem a cólica. Vamos passar por isso juntas!

Oito hábitos para uma vida saudável

Ter uma vida saudável é uma questão de hábito: implemente mudanças simples em atitudes cotidianas e tenha mais consciência das suas ações

Uma vida saudável traz diversos benefícios em termos de qualidade de vida e também para o meio ambiente. Em um primeiro momento, seu corpo agradece, pois ele vai possuir mais resistência com um sistema imunológico forte, evitando doenças. Depois, o meio ambiente será menos degradado por conta de atitudes mais conscientes e saudáveis, como andar de bicicleta e caminhar, em vez de usar o carro, e subir as escadas, ao invés de utilizar o elevador.

Mas só é possível alcançar esse estilo de vida saudável com uma mudança de hábito e uma maior consciência sobre as ações do dia a dia. Alterar o comportamento e a rotina são medidas necessárias para que se tenha uma vida saudável. Para ajudar você com essas mudanças, abaixo estão algumas dicas, hábitos e passos que você deve seguir.

Hábitos para uma vida saudável
Lave suas mãos com frequência
A maioria das pessoas toca os olhos ou nariz uma vez a cada três horas. Esse costume não é bom, pois cada esfregada pode transportar vírus. Por isso, é importante lavar as mãos não só antes de fazer uma refeição, mas muitas vezes ao dia, para encerrar a troca de germes.

Beba muito mais água do que o normal
O mesmo ar seco do inverno que provoca as rachaduras dos lábios também suga a umidade do nariz e da garganta. A capacidade de afastar os vírus antes que eles dominem o seu corpo depende de um fluxo constante de secreções, que são auxiliadas pela água. Por isso, tome pelo menos de oito a dez copos por dia. Tenha cuidado com a ingestão de bebidas com cafeína, porque elas desidratam o corpo.

Leia também: bem estar

Diminua as porções
É realmente saudável comer de cinco a sete refeições por dia, ou seja, alimentar-se a cada três ou quatro horas. Isso ajuda a não sobrecarregar o seu sistema digestivo, além de também manter o seu nível de energia e ajudar a combater a ansiedade pelo açúcar. Seu nível de açúcar no sangue vai cair a cada três ou quatro horas. Quando ele cai, o mesmo acontece com o seu nível de energia, incluindo a sua capacidade de lidar com o estresse e de se concentrar. E é aí que aparece o desejo de consumir açúcar, para dar energia. Então, coma pequenas quantidades de carboidratos complexos e proteínas nessas pequenas refeições.

Abandone o açúcar
Adultos comem uma média de 135 quilos de açúcar por ano. A maioria das pessoas não consegue metabolizar o açúcar que consome porque ele rapidamente se transforma em gordura. E, quando se come o açúcar, o sistema imunológico é “congelado” por até duas horas, durante as quais os vírus e outros organismos estranhos podem atacar seu sistema, dificultando seus planos de ter uma vida saudável. Quando tiver vontade de comer doce, experimente deixar algumas frutas congeladas, como amoras, uvas ou abacaxi, para consumi-las depois. Colocar pedaços de bananas no seu iogurte pode ser uma delícia também.

Transforme bananas muito maduras em sorvete
Alternativas naturais para substituir açúcar e adoçante
Nunca pule o café da manhã
Pense no seu corpo como uma fogueira de acampamento que “morre” durante a noite. Pela manhã, ele precisa ser alimentado para se manter em pé e saudável. E o café da manhã é o caminho para ter seu corpo de volta em forma, com energia. Lembre-se de que o café da manhã é a refeição mais importante do dia, por isso, ao acordar, não pule o café, faça uma refeição reforçada, para poder ter energia de sobra até o almoço.

Coma vegetais sempre
Os vegetais são um depósito de vitaminas e minerais essenciais para a sua saúde, ou seja, são fundamentais para uma vida saudável. Eles vão ajudar na proteção contra resfriados e gripes, principalmente os vegetais mais coloridos, porque eles têm mais nutrientes. Em determinadas épocas do ano, comer um monte de alimentos ricos em vitaminas A e C, como a batata doce e a abóbora, ajuda a aumentar nosso sistema imunológico. Veja mais benefícios de se ter uma dieta vegetariana.

Não tenha uma vida sedentária, pratique esportes
A prática de exercícios físicos é um importante passo para alcançar uma vida saudável. O exercício ajuda a aumentar a energia, reduzir o estresse e ainda mantém o peso sob controle. Faça um programa de atividades físicas e adicione-o à sua rotina; em primeiro lugar, adicione o fator diversão, realize treinos e esportes divertidos. Procure ouvir músicas enquanto caminha, leia livros enquanto está na bicicleta ergométrica, assista ao noticiário quando você andar na esteira. Sempre que possível, chame um amigo para fazer o exercício com você, pois isso torna a atividade mais divertida e você se envolve mais nela. E lembre-se de que seu corpo necessita de um ou dois dias de descanso.

Dez exercícios para fazer em casa ou sozinho
Dormir bem é muito importante
Durma de sete a oito horas todas as noites. Mesmo que você tenha que reorganizar sua agenda, tenha um sono adequado. Mais de uma noite de insônia ou mal dormida pode afetar seriamente o seu sistema imunológico.